Pesquisar este blog

Carregando...

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Senta que lá vem a História! - Coppélia ou A menina dos Olhos de Esmalte

Balé em três atos
Libreto: Charles Nuitter e Arthur Saint-Léon, baseado na história de E.T.A Hoffman.
Coreografia: Arthur Saint-Léon 
Cenários: Cambon, Lavastre e Despléchin
Música: Léo Delibes
Figurinos: Paul Lormier
Estréia mundial: 25 de maio de 1870 no Théatre Imperial de L’Opera de Paris.
Giuseppina Bozacchi interpretou Swanilda e Eugénie Fiocre, Franz.



 Ato I



            Em uma vila da Cracóvia, Swanilda beija sua mãe e seu pai, Burgomeister, antes de partirem. Swanilda, ao avistar Coppélia, uma moça que, todos os dias, lê um livro na sacada do exótico Dr. Coppélius, tenta atrair sua atenção, mas não consegue.

            Franz, o noivo de Swanilda, chega com flores. Sem encontrá-la, está prestes a ir embora, quando vê Coppélia – que o surpreende ao deixar cair seu livro, levantar-se e jogar-lhe um beijo. Swanilda, ao ver Franz mandar um beijo de volta para Coppélia, fica furiosa por ele estar flertando com outra garota na véspera de seu casamento.

            Os aldeãos chegam para começar com os preparativos do casamento, interrompendo a discussão. Burgomeister, explicando os detalhes da festa, fica preocupado ao perceber que os noivos se desentenderam. Borgomeister sugere à Swanilda que ela “escute o trigo”: se ela ouvir qualquer coisa ao agitar o trigo, então Franz é seu amor verdadeiro. Aborrecida por não ouvir nada, ela parte para dançar com seus amigos. Franz persegue Swanilda, tentando atrair sua atenção, mas ela o ignora.

            Dr. Coppélius certifica-se de que a praça da aldeia está vazia antes de deixar sua casa e sua querida Coppélia, mas é surpreendido por jovens que o importunam; ele afugenta-os com sua bengala. Swanilda sai de sua casa para ajudá-lo, mas ele, irritado, vai embora, deixando-a de lado. Swanilda percebe que Coppelius deixou cair a chave da porta da frente de sua casa. Ela e suas amigas entram na misteriosa casa, para saber o que há lá dentro e para falar com sua rival, Coppélia.

     Ato II




            Dentro da escura e misteriosa casa de Dr. Coppélius, as garotas procuram Coppélia. Encontrando-a atrás de uma cortina, ficam chocadas ao notar que ela é apenas uma boneca mecânica, tão bem feita que parece humana. Elas gargalham ao lembrar que Franz provavelmente se apaixonou por uma boneca. Logo depois encontram outros bonecos mecânicos e se divertem com eles.

            Não encontrando Swanilda em casa, Franz está prestes a ir embora quando avista o livro de Coppélia. Dr. Coppélius retorna, procura por sua chave, e percebe que sua porta está aberta. Ele entra na casa para investigar. Franz consegue uma escada e sobe na sacada, pretendendo entregar o livro à Coppélia.

            Dr. Coppélius, ao chegar, expulsa todas as garotas de sua casa, todas exceto Swanilda, que se esconde atrás da cortina, juntamente com Coppélia. Franz chega, esperando encontrar Coppélia, mas Dr. Coppélius o afronta. Enquanto Franz explica que quer conhecer a atraente moça, Dr. Coppélius tem uma idéia. Ele oferece a Franz uma bebida, na qual colocou uma poção adormecedora. Franz cai adormecido e, Dr. Coppélius, inicia a execução de seu plano, ele pretende roubar a força vital de Franz para dá-la à Coppélia. Swanilda, que escondida percebera tudo, veste as roupas de Coppélia, fingindo ganhar vida com a magia do velho, executa danças de diversos lugares, espanholas, escocesas, etc. Ao mesmo tempo, tenta acordar Franz.

            Coppélius fica emocionado quando sua mais perfeita boneca toma vida, pois finalmente terá alguém real para dividir sua solidão. Os sons de atividade do lado de fora da casa anunciam o amanhecer. Swanilda finalmente desperta o sonolento Franz, revelando à Dr. Coppélius que ela não é a boneca, em seguida foge da casa com Franz.

    Ato III



       Os aldeãos ficam surpresos quando Swanilda (vestida de Coppélia) e Franz saem da casa de Coppélius, já está quase na hora do casamento, mas eles ainda não estão prontos para a cerimônia. Eles correm para se preparar. Finalmente os dois estão casados, mas Dr. Coppélius interrompe, exigindo uma compensação pelos danos causados por Swanilda. Ela oferece seu dote, mas seu pai intercede para pagar. A aldeia se une a Franz e Swanilda na celebração de seu casamento, e até Dr. Coppelius compartilha a alegria.

FIM!





Um comentário: